02 agosto, 2010

Por todas as Sakineh Ashtiani e Anabelas !

           Sakineh Ashtiani, que foi condenada à morte por apedrejamento, segundo a lei da Sharia em vigor no Irão e nos países islâmicos por crime de adultério. Enviou uma mensagem ao mundo, agradecendo a campanha mundial que decorre no sentido de pedir a sua libertação. O texto foi lido em Londres na passada Sexta-feira, por representantes das ONG’s que lançaram a campanha que conta com 141 mil assinaturas, embora a maioria não tenha validade, dado o receio das pessoas em colocar a sua verdadeira identidade. Também na Sexta-feira as ONG’s lançaram um apelo pelo fim da perseguissão ao seu advogado Mohammed Mostafaei, que se encontra fugido depois de ver decretada a sua prisão, encontram-se já presos a sua mulher e um cunhado.




"Estou agora quieta e triste porque uma parte do meu coração está congelada. Muitas noites, antes de dormir, penso:"como é possível que alguém esteja preparado para atirar pedras em mim, mirar meu rosto e mãos?"
Diz Sakineh, na sua mensagem.


É horroroso o que se passa nos países islâmicos, relativamente aos direitos humanos, não menos também horrorosos os crimes contra as mulheres que pelo nosso país surgem com grande frequência notícias de verdadeiras desgraças, que culminam em assassínios. Perante a ineficácia da lei portuguesa, ou perante a tolerância ( o mesmo que cumplicidade ) de todos nós. Segundo notícia do  Jornal de Notícias há dias, ou melhor no passado dia 15 de Julho, "Anabela Batalha, de 44 anos, professora do Ensino Básico na Escola de Chãos-Velhos, tinha ido à moradia do casal, na companhia de uma amiga, para recolher mais alguns pertences, uma vez que desde há algum tempo que vivia em casa de uma amiga, na companhia de dois dos filhos, de dez e oito anos."

Cansada das constantes agressões do marido, para com ela e os três filhos, Anabela Batalha, de 44 anos, ganhou finalmente coragem e no domingo de manhã denunciou o marido, José, à GNR de Gaia. O agressor foi detido, ouvido por um juiz no dia seguinte e saiu em liberdade. Três dias depois de ser solto, José, de 43 anos, matou a professora primária com dezenas de facadas na sua casa em Arcozelo.

Também o companheiro de Isaura Morais, presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, foi detido, na passada sexta-feira, por posse ilegal de armas. Que lhe foram encontradas, na sequência de uma busca à residência depois de Isaura o ter denunciado por agressões.

Fonte próxima da família citada pela edição online do Jornal de Notícias, revelou que há já vários anos Isaura Morais era vítima de violência física e «tortura psicológica». Na passada sexta-feira, sentiu a sua vida ameaçada e decidiu apresentar queixa na polícia.


Todas estas agressões, quando denunciadas, se a vítima não for convenientemente protegida acabam por redundar em assassínios, que é o que se tem visto acontecer. Esperemos que a Isaura se saiba proteger, ( parece que como é autarca, tem direito a segurança ) pois tanto quanto soubemos ocompanheiro foi colocado em liberdade, com termo de identidade e residência... mais nada!

É evidente que não sou apologista de se prender logo o homem sem provas relativamente à acusação, mas tenho notado que nos casos que têm culminado em tragédias, as evidências e os testemunhos eram muitos e nada se fez para proteger essas mulheres! Afinal com que lei e com que justiça podemos contar para nos socorrer?

Deixo aqui o meu apelo, por todas as Sakineh e todas as Anabelas, sejamos solidários e denunciemos o que está mal, lutemos efectivamente por mais justiça e sobretudo pelo cumprimento dos DIREITOS HUMANOS.

Leia mais sobre Anabela Batalha em Correio da Manhã

72 comentários:

Ana Martins disse...

Boa noite cunhadita,
este é um dos muitos casos chocantes da injustiça criada pelo Homem.
Devemos pois não deixar casos como estes a criarem-nos nós na garganta, devemos sempre gritar a nossa indignação e fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para tentar mudar leis e sentenças monstruosas como esta que foi aplicada a esta Mulher.
Eu já assinei a petição!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Marilu disse...

Querida amiga Saozita, postei e meu blog uma denúncia também sobre esse caso de horror. Voltamos no tempo e estamos matando mulheres apedrejadas. Queria Deus que isso tenha um final feliz..Tenha uma linda semana...Beijocas

Franck disse...

È trsite ver a violência à mulher em todo o mundo, aqui no Brasil nos últimos tempos parece que cresceram os números de casos que vem à tona, apesar de uma lei chamada Maria da Penha...
Uma boa semana!

Luís Coelho disse...

Toda a forma de violência é condenável,tanto física como psicológica.Espalham o terror e as perseguições em vez de semearem a liberdade e o amor.
A mulher cometeu adultério não o fez sozinha. E se fez mal já lhe basta esse peso na consciência. Ela é livre de usar o seu próprio corpo.
Obrigam-nas a casar ainda crianças e depois matam-nas à pedrada quando descobrem o amor.
Mais triste ainda é que as pessoas assistem a tudo como se fosse um circo.

Marilu disse...

Querida amiga, eu e a Sueli, colocamos posts na sexta feira sobre Sakineh, isso é uma vergonha mundial, o que eu acho mais absurdo é que fazem-se comentários, abaixo assinados, e ninguem salva essa pobre mulher desses algozes malditos..Beijocas

"Cantinho Poético" disse...

Há uma doce luz no silencio,e a dor é de origem divina.
Permita que eu volte o meu rosto para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho como as estrelas no seu rumo.

Cecilia Meireles

Uma semana de paz e luz...Beijos na alma.....M@ria

El ave peregrina disse...

Querida Saozita, súmome a túa solidaridade, pois... penso o mesmo, hai que loitar para que isto non suceda endexamais.
Entrada reflexiva... e chea de sentementos.

Un bico.

Chica disse...

Tudo isso é revoltante e parece que não tem fim a cruel]dade que vemos por aí!Pena!Linda semana, já de volta das férias,chica

Martha Cecilia Cedeño Pérez disse...

La violencia contra las mujeres es un lacra que debe ser condenada desde todos los puntos de vista. En España cada año muere un gran número de mujeres a manos de sus maridos, ex-parejas, amantes. Esta violencia brutal debe ser erradicada de la sociedad y para ello es necesario tomar todas las medidas que sean necesarias.
Un saludo,
Martha

Valéria Gomes disse...

Por Deus, será que estão todos loucos!!!
Estou a tentar entender o que vai na cabeça daqueles que se sentem no direito de tirar outras vidas. O que é a humanidade afinal? Para que o raciocínio, se estão todos a se comportarem feito selvagens?
Que as nossas vozes possam se juntar, para falar por todas as mulheres que estão sendo caladas pela tortura!!!

Beijos!!! :'(

Andrea Pagano disse...

Saozita,
Minha querida obrigada por não me deixares nenhum dia só,obrigada mesmo por tanto carinho!!!

Eu vou ler tudo isso com mais calma depois...Estou tão atrasada com tantos textos... Mas até a noite volto com calma e respeito que merece!

Bjs e uma ótima semana para tí!

Guilherme disse...

Se uma situação destas se passase num pais ocidental, não sei o que seria dito. Mas neste caso o silêncio é total.

Vitor Chuva disse...

Olá Saozita!

Condenar uma mulher à morte pela prática de adultério, é um acto bárbaro, primitivo, e totalemente condenável; chocante para os nossos hábitos e práticas mais liberais e humanistas.
Oxalá que todo este clamor que se levantou em volta do caso possa evitar que a sentença seja executada; seria certamente um precedente que poderia fazer caminho em relação a muitas situações idênticas que se repetem numa boa parte do mundo islâmico, e não só no Irão. Oxalá que sim!

Beijinhos.
Vitor

euemmim disse...

Oi querida...

Eu fiquei chocada qd li o blog da Marilu...e agora estou lendo o seu...

Tenho a impressão que querem exterminar as mulheres das formas mais atrozes possiveis...

A cada dia vc ouve e vê como aumentam os casos de violência contra a mulher...
Eu acredito que alguma coisa deve ser feita....

bjos...fique em paz...

Zil

Fernanda disse...

Olá querida amiga!

Sabes bem o que penso sobre este tema. Sobre a Sakineh Ashtiani e as mais de 150 mulheres que estão no corredor da morte, entre as quais está também uma "activista", publiquei no Sempre Jovens este texto Salvemos Sakineh Mohammadi Ashtiani.

Amiga, o que é verdadeiramente incrível, é o que me dizes quanto ao facto das petições não serem validadas...
Eu não concebo a ideia de que haja quem assine uma petição com dados falsos. Que cobardia! que vergonha tenho, cada vez mais de viver neste Mundo!

As Anabelas e as nossas "Marias Portuguesas", são outra história triste, horrenda e da qual não nos podemos nunca esquecer.

À semelhança do que acontece um pouco por todo o Mundo, a criminalidade aumenta e a barbárie também.
Incrivelmente, ao invés de maior compreensão e tolerância, as pessoas estão mais e mais agressivas.
Os crimes ganham contornos de pura malvadez,partem de pessoas de quem ninguém suspeita, o que verdadeiramente alarmante.

Este tema é inesgotável, daria para análises profundas e muitas horas de conversa.
Convém contudo salientar, que temos o dever de denunciar todos os casos que saibamos, TODOS!
De nos INDIGNARMOS e de LUTARMOS pela total Emancipação da MULHER, que continua a ser (apesar de representar muito mais de metade da população mundial) escravizada, aprisionada, descriminada, mal tratada, assassinada....

Beijinhos

Na casa do Rau

Fernanda disse...

Amiga querida!

Se te aparecer um outro comentário, não estranhes.
Não reparei se tens instalado o sistema de aprovação de comentário ou não.
Já vou confirmar ao terminar este.

Aconteceu que acabei de fazer um comentário mais detalhado e que aparentemente não entrou.
Pena se assim for.

Passo agora a ideia fundamental.

Não há como confundir as duas situações. O Islão condena e assassina (de forma absolutamente desumana, cruel, abominável) as suas mulheres, as suas mães, as suas irmãs.
Quem lhes deu o SER!
Em nome de leis criadas e recriadas por homens que dizem ser as leis do seu Deus Allah.
INDIGNEMO-NOS E ASSINEMOS TODAS AS PETIÇÕES, mesmo que hajam COVARDES que falsifiquem as suas declarações.
Que vergonha!

As nossas mulheres assassinadas, as Anabelas e todas as Marias que continuam a perecer às mãos dos maridos, de assassinos monstruosos, são o resultado da ineficaz justiça portuguesa.
Ainda resultam do facto de que muitas das nossas mulheres estarem dependentes dos seus maridos para subsistirem, da sua educação deficiente (que tudo tolera, tudo permite) e para acabar por aqui, porque muito mais haveria a dizer, porque a mulher portuguesa e não só, deve continuar a sua luta pela total EMANCIPAÇÂO.

Obrigada por este post.

Beijinhos

Na casa do Rau

@carolecarol disse...

Oie, sou a Carol, irmã da Lô, e vim agradecer sua visita no blogue dela :) Ela vai gostar muito do seu comentário.


:*

Desnuda disse...

Querida amiga,

é lamentável, pesaroso, vergonhoso ,revoltante e altamente repugnante saber deste e de vários outros casos semelhantes que ocorrem em alguns países mulçumanos. Mas se lá é pena aplicada, para todo o restante do mundo esta pena é condenada por motivos óbvios. Inclusive por alguns lideres mulçumanos. Esta sentença é aviltante. Constitui uma desonra para o mundo e o mundo clama com mais força e com mais rapidez se levanta pelas facilidades da tecnologia atual dos meios de comunicação. Estamos todos nesta luta de humanização do homem para um mundo melhor.


Fico feliz que tenha gostado. Estes poetas, cantadores e repentistas tanto aqui como em Portugal, na definição da arte é a mesma. Passei a me interessar pela cultura, folclore e tudo relativo ao nordeste brasileiro através do meu marido.. Embora morando a décadas no Rio de Janeiro ele é um apaixonado defensor das suas raízes. E foi através do meu marido que conheci a arte de Oliveira. Há um videozinho gravado por um amigo num momento de descontração na casa de Oliveira que trouxe para você ver ! Está meu marido ( blusa listrada, Oliveira, eu e um outro poeta José de Souza Dantas que não foi focalizado ( somente a voz). Foi um momento nosso em curto tempo registrado que dá para ver a alegria deste encontro.

http://www.youtube.com/watch?v=4VFHh2bFNvs

Uma linda noite para você e toda a família. Beijos tamanho família, Saozita!

alegria de viver disse...

Olá querida

Isto infelizmente existe, dificil de acreditar. Ainda vivemos no primitivismo em alguns países.

Com muito carinho BJS.

Pérola disse...

Esse assunto já me entristeceu por demais e por mais q eu viva jamais entenderei tamanha covardia.
Parabéns minha flor.
Beijos embrulhados com muita amizade.
Obrigado pelo carinho da visita.
Beijokas millllllllll.

Sonia Schmorantz disse...

Uma reportagem muito interessante esta, apesar de tentarmos mudar a cultura da denúncia, o medo ainda persiste e é nosso maior inimigo, maior até do que quem nos ataca.
beijos

Dri Andrade disse...

Minha linda..obrigada pela sua visita, esse tema é muito sério, vale,ler com muita atenção,mexe coma gente por dentro e faz refletir,
tudo de bom pra vc e otima semana beijos

Maria Luisa Adães disse...

Gostei dos termos e da denuncia que faz.

No livro "Vendidas" de Zana Muhsen
elas nos conta como foi vendida com a irmã, de 14 anos, ela com 15,
pelo pai Muthana Muhsen.

O pai casado com a mãe (inglesa) em Londres, as levou de férias ao
Iemen e desse sonho nasceu um casamento à força para as duas, numa aldeia perdida do Iémen.

Zana lutou 8 anos, conseguiu fugir por milagre, mas o filho e a irmã Nadia e filha continuam prisioneiras.

"Vendidas"! é um documento de excepcional importância sobre uma da práticas mais aberrantes do mundo contemporâneo.
Através do que escreve, tantas vezes chocante, permite descobrir a realidade que se oculta por detrás da fachada pretensamente
civilizada de alguns países e de algumas culturas.

E todos os anos se comemora em todo o mundo, "O dia Mundial da Mulher".

Qual mundo? Qual mulher?

maria Luísa Adães

vanderlei disse...

è realmente muito triste para todos nós, estar-mos de frente com situaçõrs como essa, e sabendo que a impunidade reinarará infelismente, parabens pelo blog e pelas postagens, bjs no coração e apereça em meu blog ok:
http://reflexoesmisticas.zip.net
http://vanderleireflexoes.blogspot.com.
Vanderlei

Mgomes - Santa Cruz disse...

Amiga Sãozita: Todo o tipo de tortura é condenaval não estamos no tempo de estar aturar essas Coisas, para mim quando +e por qualquer motivo o Homem e a mulher não se dão devem ir um para cada lado mesmo sendo casados pela Igreja, porque para mim não deve bater a uma mulher nem com uma flor quanto mais com violencia.
Um beijo
Santa Cruz

Valdecy Alves disse...

Realmente, Saozita, é um absurdo que dos princípios religiosos possa ser extraída uma lei tão monstruosa, que atenta contra o direito à vida, o maior de todos os direitos.

Mariazita disse...

Querida Sãozita
Venho só dar-te um beijinho de boa noite e agradecer o teu cuidado. Estou a acabar o post para amanhã (para as 00.01H, - daqui a pouco - como habitualmente) para o LÍRIOS, e recebi aviso da tua mensagem no Outlook.
Volto amanhã para ler e comentar. Entretanto...muitooooooo obrigada pelo teu cuidado. Está tudo bem, apenas com pouco tempo.
Amanhã falamos melhor, minha querida.

Dorme bem, na companhia dos Anjos.
Beijinhos

PRECIOSA disse...

É amiga, triste demais, nesse momento quantas crianças, mães estão sendo judiadas, violentadas e nada podemos fazer a não ser gritar escrever orar.....
Amiga me revolta pois nada posso fazer, sinto-me atada, acorrentada
mas, ainda tenho voz para gritar.
"SOCORRO MEU DEUS"...
bjs no coração.
Preciosa Maria

SolBarreto disse...

Obrigado pela atençãoao meu cantinho...
Passo a te seguir e acompanhar seus textos,ainda volto para observar tudo com mais calma!

Numenor disse...

Sem palavras. Fica o abraço solidário.

Fallen Angel ( que fui um dia )

REGGINA MOON disse...

Sãozita,

Coincidência...acabei de ouvir essa notícia absurda no noticiário na TV...é algo que foge à minha concepção como ser humano...sinceramente, lamentável!!!

Bela postagem!!!

Beijos....

Reggina Moon

Machado de Carlos disse...

É triste uma história como esta ainda percorrendo o mundo todo, em um tempo em que as mulheres dominam, assim como os homens.
Por aqui passamos por problemas parecidos contra a mulher. Recentemente é o Caso Bruno, atleta do futebol brasileiro que encomendou a morte da Amante.
Que Deus nos ampare sempre!

Pena disse...

Oh, Notável Amiga:
"...É horroroso o que se passa nos países islâmicos, relativamente aos direitos humanos, não menos também horrorosos os crimes contra as mulheres que pelo nosso país surgem com grande frequência notícias de verdadeiras desgraças, que culminam em assassínios..."

Nunca compreendi o total desprezo das camadas sociais elevadas e até detentoras do poder do Islamismo em tratar as lindas mulheres.
Apedrejamento. Morte. Humilhação. Tudo isto em pleno século XXI.
É inadmissível. Erróneo e desajustado, além de menosprezar esse ser lindo que é a mulher.
Parabéns pelo Post.
Muito aqui não foi dito que havia a dizer, amiguinha fabulosa.
As mulheres têm direitos que podem alegar em sua defesa quando agredidas emocionalmente, psicologicamente e corporalmente.
Belo texto, amiga notável.
Beijinhos mil ao seu encanto.
Sempre e constantemente a admirá-la

pena

MUITO OBRIGADO pela ternura expressa no meu blogue.
Bem-Haja, linda e perfeita amiga gigante de bem.
Adorei.
É perfeita.

Lina-solopoesie disse...

Saozita .
Grazie mille... nel leggere le tue parole che mi hai lasciato nel commento mi hai fatto commuovere , anche tu mi manchi tanto , e sai il bene che ti voglio ..... solo il fatto di avere un amica come ti rende felice .

A noi non basta essere felice , sappiamo che ci vuole anche la serenità interiore à, in questo periodo ne ho bisogno come l'aria...
Ti ringrazio ancora e ringrazio anche le altre persone che mi stanno vicine col cuore
Quando parliamo di felicità non ci mettiamo superlativi, quando nominiamo la tristezza usiamo "estrema" e ci abbiniamo "vuoto", "monotonia". Anche ai periodi di felicità

dobbiamo avere il coraggio e la memoria di abbinare dei superlativi. Siamo esseri umani, in perenne ricerca di briciole di saggezza.
Certo, la tristezza la ricordiamo meglio perchè ci fa stare male. Pensa ai momenti di felicità con intensità ma anche ai momenti di semplice serenità: quelli non li calcoliamo mai.
Alla serenità difficilmente dimostare il giusto peso. E' normale l'alternanza. La vita è un ciclo, come la natura. Pensa alla pioggia e al sole, al giorno e alla notte.
Facciamo delle ottime considerazioni, sappiamo perfettamente a cosa ci serve la tristezza. Debbiamo solo avere meno fretta: l'alternanza pian piano, crescendo, si dilata.

La felicità diventa meno prorompente ma lascia il posto a quella cosa meravigliosa che è la pace interiore.
Idem la tristezza: pesa sempre meno perchè anche quando ci accade qualcosa di brutto la pace interiore sta sempre lì e ci protegge.
E' un lungo lavoro, di introspezione, di conoscenza di noi stessi . Conoscendoti tu sei a ...... A BUON PUNTO!
UB BACIO E BUONA GIORNATA LINa

Lina-solopoesie disse...

Saozita.
Obrigado ... na leitura de suas palavras que você me deixou no comentário que você me fez passar, eu sinto falta de você demais, e você sabe o bem que você quer ..... assim como ter um amigo que te faz feliz.

Nós não apenas ser feliz, nós sabemos que precisamos também da serenidade interior baixa neste momento eu preciso é como o ar ...
Obrigado novamente e agradeço a outras pessoas em volta de mim com o meu coração
Quando falamos superlativos sobre a felicidade não nós, quando o nome da tristeza que nós usamos "extrema" e que corresponde a "vazio", "monotonia". Mesmo em períodos de felicidade

deve ter a coragem ea memória para coincidir com os superlativos. Somos seres humanos, sempre à procura de migalhas de sabedoria.
Naturalmente, a tristeza nos lembramos melhor porque nos faz sentir mal. Pense nos momentos de felicidade com intensidade, mas também os momentos de serenidade simples: aqueles que não estão sempre calculá-los.
Difícil de serenidade pode mostrar o peso certo. E 'alternância normal. A vida é um ciclo, como a natureza. Pense sobre a chuva e sol, dia e noite.
Nós fazemos algumas considerações grande, sabemos que precisamos da tristeza. Devemos apenas ter menos pressa: alternando lentamente, crescendo, se expande.

A felicidade torna-se menos de ruptura, mas dá forma a essa coisa maravilhosa que é a paz interior.
Ditto a tristeza pesa menos, porque, mesmo quando algo ruim acontece paz interior está sempre lá e nos protegendo.
É um trabalho árduo, a introspecção, o conhecimento de nós mesmos. Com esse conhecimento, você é a ...... Um bom ponto!
UB KISS bom dia e LINA

Lina-solopoesie disse...

Saozita
Dimenticavo di dirti .. che in serata tornerò per leggere il post col traduttore .. poi ti lascerò il mio pensiero.. tvb
Ciao ...tua amica Italiana Lina

Mariazita disse...

Querida amiga Sãozita
Abordas aqui um tema tão velho como o mundo! Mas se, em tempos remotos, em que a Mulher “nem sequer possuía alma” ( no dizer dos homens, evidentemente ) , era, até certo ponto, desculpável, porque se vivia na “era das trevas”, hoje, em pleno século XXI, é absolutamente inadmissível que ocorram cenas como as que descreves.
E o mais grave é não se vislumbrar solução para este cancro.
Nos países islâmicos nem vale a pena pensar. São outras culturas, outros valores (que ultrapassam a nossa compreensão), outras maneiras de agir. Pessoalmente considero-os países bárbaros, ainda no tempo da pedra lascada.
(Li recentemente um livro – “Mil sois resplandecentes”, de Khaled Hosseini, que relata a violência exercida sobre as mulheres afegãs. Alguns desses relatos até dão volta ao estômago).
Mas países ditos civilizados têm procedimentos por vezes pouco melhores.
Em Portugal, concretamente, vê os casos (apenas relatas alguns dos muitos que acontecem) em que se poderiam ter evitado perdas de vidas, mas tal não aconteceu porque os agressores foram postos em liberdade.
E quantos e quantos casos de maus-tratos se passam todos os dias de que nem sequer há conhecimento!
Há tempos ouvi na TV o depoimento de um homem que falava acerca de um rapaz que matou o “padrasto” porque ele infligia maus-tratos na Mãe. Um dia o rapaz, um adolescente de que não recordo a idade (16 ou 17 anos), farto daquilo a que assistia, matou-o. Entre as várias cenas relatadas, uma que me chocou altamente foi a de que o “morto” urinava para cima da Mãe. Mandava a mulher despir-se, deitar-se em cima da cama, e depois urinava-lhe em cima. À frente do filho!
Não são só os maus tratos físicos (pancadas) que afectam muitas mulheres; há muitas outras formas de violência, algumas indescritíveis!

Minha querida, agora ficava aqui a falar o dia todo, porque o tema é deveras apaixonante. Mas preciso deixar espaço para os outros comentadores :)))

Logo que eu tenha possibilidade respondo ao teu email. De facto estou a lutar com muita falta de tempo. Depois de vir de férias, a 31 de Agosto, e passando a primeira quinzena de Setembro, espero ficar mais liberta.

Uma vez mais um grande “obrigada” pelo teu cuidado, pelo teu carinho, pela tua amizade.

Um dia muito feliz, e um bom resto de semana.

Beijinhos carinhosos.

Mariazita disse...

Querida amiga Sãozita
Abordas aqui um tema tão velho como o mundo! Mas se, em tempos remotos, em que a Mulher “nem sequer possuía alma” ( no dizer dos homens, evidentemente ) , era, até certo ponto, desculpável, porque se vivia na “era das trevas”, hoje, em pleno século XXI, é absolutamente inadmissível que ocorram cenas como as que descreves.
E o mais grave é não se vislumbrar solução para este cancro.
Nos países islâmicos nem vale a pena pensar. São outras culturas, outros valores (que ultrapassam a nossa compreensão), outras maneiras de agir. Pessoalmente considero-os países bárbaros, ainda no tempo da pedra lascada.
(Li recentemente um livro – “Mil sois resplandecentes”, de Khaled Hosseini, que relata a violência exercida sobre as mulheres afegãs. Alguns desses relatos até dão volta ao estômago).
Mas países ditos civilizados têm procedimentos por vezes pouco melhores.
Em Portugal, concretamente, vê os casos (apenas relatas alguns dos muitos que acontecem) em que se poderiam ter evitado perdas de vidas, mas tal não aconteceu porque os agressores foram postos em liberdade.
E quantos e quantos casos de maus-tratos se passam todos os dias de que nem sequer há conhecimento!
Há tempos ouvi na TV o depoimento de um homem que falava acerca de um rapaz que matou o “padrasto” porque ele infligia maus-tratos na Mãe. Um dia o rapaz, um adolescente de que não recordo a idade (16 ou 17 anos), farto daquilo a que assistia, matou-o. Entre as várias cenas relatadas, uma que me chocou altamente foi a de que o “morto” urinava para cima da Mãe. Mandava a mulher despir-se, deitar-se em cima da cama, e depois urinava-lhe em cima. À frente do filho!
Não são só os maus tratos físicos (pancadas) que afectam muitas mulheres; há muitas outras formas de violência, algumas indescritíveis!

Minha querida, agora ficava aqui a falar o dia todo, porque o tema é deveras apaixonante. Mas preciso deixar espaço para os outros comentadores :)))

Logo que eu tenha possibilidade respondo ao teu email. De facto estou a lutar com muita falta de tempo. Depois de vir de férias, a 31 de Agosto, e passando a primeira quinzena de Setembro, espero ficar mais liberta.

Uma vez mais um grande “obrigada” pelo teu cuidado, pelo teu carinho, pela tua amizade.

Um dia muito feliz, e um bom resto de semana.

Beijinhos carinhosos.

Mariazita disse...

Querida amiga Sãozita
Abordas aqui um tema tão velho como o mundo! Mas se, em tempos remotos, em que a Mulher “nem sequer possuía alma” ( no dizer dos homens, evidentemente ) , era, até certo ponto, desculpável, porque se vivia na “era das trevas”, hoje, em pleno século XXI, é absolutamente inadmissível que ocorram cenas como as que descreves.
E o mais grave é não se vislumbrar solução para este cancro.
Nos países islâmicos nem vale a pena pensar. São outras culturas, outros valores (que ultrapassam a nossa compreensão), outras maneiras de agir. Pessoalmente considero-os países bárbaros, ainda no tempo da pedra lascada.
(Li recentemente um livro – “Mil sois resplandecentes”, de Khaled Hosseini, que relata a violência exercida sobre as mulheres afegãs. Alguns desses relatos até dão volta ao estômago).
Mas países ditos civilizados têm procedimentos por vezes pouco melhores.
Em Portugal, concretamente, vê os casos (apenas relatas alguns dos muitos que acontecem) em que se poderiam ter evitado perdas de vidas, mas tal não aconteceu porque os agressores foram postos em liberdade.
E quantos e quantos casos de maus-tratos se passam todos os dias de que nem sequer há conhecimento!
Há tempos ouvi na TV o depoimento de um homem que falava acerca de um rapaz que matou o “padrasto” porque ele infligia maus-tratos na Mãe. Um dia o rapaz, um adolescente de que não recordo a idade (16 ou 17 anos), farto daquilo a que assistia, matou-o. Entre as várias cenas relatadas, uma que me chocou altamente foi a de que o “morto” urinava para cima da Mãe. Mandava a mulher despir-se, deitar-se em cima da cama, e depois urinava-lhe em cima. À frente do filho!
Não são só os maus tratos físicos (pancadas) que afectam muitas mulheres; há muitas outras formas de violência, algumas indescritíveis!

Minha querida, agora ficava aqui a falar o dia todo, porque o tema é deveras apaixonante. Mas preciso deixar espaço para os outros comentadores 

Logo que eu tenha possibilidade respondo ao teu email. De facto estou a lutar com muita falta de tempo. Depois de vir de férias, a 31 de Agosto, e passando a primeira quinzena de Setembro, espero ficar mais liberta.

Uma vez mais um grande “obrigada” pelo teu cuidado, pelo teu carinho, pela tua amizade.

Um dia muito feliz, e um bom resto de semana.

Beijinhos carinhosos.

Andrea Pagano disse...

Muito triste isso não Saozita!
Triste demais que asinda se faça isso e tantas práticas, até a castração da mulher ainda menina...Práticas bábaras e não sei se algum dia vai parrar...
Espero sinceramemte que Deus possa um dia entrar nos corações de homens e mulheres para que possamos ter um mundo melhor!
Bjs e fiquem em paz...

Guilherme disse...

Mas em que mundo vivemos nós? Nem os animais se comportam assim. Um beijo Sãozita e obrigado pela amizade.

Sandra disse...

Amiga deixei um selinho aqui para vc.http://sandraandrade7.blogspot.com/
blog glamour.
Espero que goste. è oferecido a todas as mulheres.
Carinhosamente,
Sandra

Sandra disse...

Uma triste noticia esta. Infelizmente a punidade existe.
Temos que ser muitos fortes para suportar esses descasos absurdos.
sandra

PRECIOSA disse...

Fique chocada, o pior que muitos tampam os olhos para não enxerar.
Tomara que um dia isso tenha fim...
Beijos carinhoso

Michelle Lynn disse...

Oi Sãozita!

Muito triste ver como o homem consegue ser tão cruel. Espero que sua postagem e as outras que vi pela blogosfera consigam mudar essa história.

Obrigada pela visitinha! Será sempre bem-vinda!

Bjinhoss,
Mi

Deia disse...

Oi minha querida Saozita!! Desculpe a demora em lhe escrever, fui colocando a casa em ordem desde que cheguei! Jea tinha vindo aqui e lido o seu texto, mas não dá para ser frívola e deixar um comentário dizendo, "ah, que horror".
Querida, aqui no Brasil as mulheres também sofrem, muito, violências domésticas. Foi passada há muitos anos uma lei que protege as mulheres que apanharam de seus maridos (chamada "Lei Maria de Penha").
Uma pena que não é extensível aos namorados ou amantes.
recentemente um goleiro de um time de futebol famoso, assassinou sua amante, esquartejou-a e deu fim ao seu corpo (ninguém acha). Antes de ser assassinada ela procurou a delegacia de polícia buscando amparo nessa lei que lhe falei, mas lhe foi negada por não ser ela casada com o agressor. Meses depois ela é só história...
Um beijo, Deia.

Amor feito Poesia disse...

Carinhos desenhados em
palavras são como flores perfumadas...

- Dolce Bárbara –

Beijos & Flores! M@ria

poetaeusou . . . disse...

*
foi o Criador,
que escreveu,
a Biblia, a Tora, o Corão ?
,
malditos os que se servem
do nome do Criador
para atingirem os seus fins !
,
conchinhas, ficam,
,
*

Chellot disse...

Ou seja, a mulher, independente de raça, situação financeira, religião ou nacionalidade é tratada pior que lixo por covardes que nunca as amaram de verdade. Ainda se pensa que a sociedade e a família deve ser dominada por homens e que mulher é pra ser escrava.
Quanto desenvolvimento e ainda estamos andando para trás.

Beijos doces.

Pérola disse...

Beijos minha linda.
Uma bela noite e um amanhecer feliz.
beijokas.

José disse...

Olá Sãozita!
Lá é a religião, a malvadez, e a ignorância, e aqui existe uma justiça que está moribunda, por isso acontecem dezenas de mulheres
mortas pelos maridos ou companheiros,e não falando no resto que é uma tristeza.
Parabéns por esto belo texto.

Beijinho
José.

Malu disse...

Passei para agradecer a visita.
Tuas páginas são ótimas.
Quanto a esta postagem concordo com a Fernanda, que muito bem disse.
Costumo dizer que a justiça não mora na TERRA...
Ela beira outros cantos.
Um beijinho

Daniel Costa disse...

Saozita

A descrecrinação das mulheres muçulumanas, já se sabe como é, como os próprios deueses paracem advogar isso! Falando de justiça nesses paises, será falar de injustiças. Injustiças sem motivos plausíveis, as leis serão aleatórias. A própria maneira como as malévolas sentenças são aplicadas náo são de século XXI.
Depois, passamos a Portugal, quem são os juristas que escrevem leis a permitir as bábaras mortes de mulhes, vitimas de violência doméstica, como foi o caso Anabela Batalha?
Não teremnos assim uma justiça de mediocridade, num país que se diz civilizado?
Os agressores não serão doentes mentais, ou são apenas prepotentes, difíceis de compreender o respeito que devem a si próprios?
É importante haver alguém como tu a denunciar também na blogosfera, estas despropositadas calamidades.
Beijos

RETIRO do ÉDEN disse...

Amiga Sãozita,
Já foi tudo dito nos outros comentários...nada mais há a acrescentar.
Mas...verifico que, nós mulheres, não somos solidárias umas para com as outras. Quando existem homens que nos auxiliam e nos são fiéis...ainda há mulheres que nos criticam, pois a inveja e a falta de amor para com o próximo é bem visível.
Reforço que usar o nome de DEUS em vão é um crime ignóbil.
Quanto à cultura Islâmica é muito complicado querermos alterar seja o que for...só DEUS conseguirá no momento certo mudar mentalidades...talvez dando força a quem tenha a coragem de ir denunciando e comentando casos extremos...os que vêm ao nosso conhecimento...quantos não os há que só a própria sabe ou que pereceram.
Forte abraço
Mer

Daniel Ven Friend disse...

Quantas vezes, como ela, eu me senti e sinto quieto e triste porque uma parte do meu coração está simplesmente o próprio gelo.
E é por isso que penso o quanto é triste e lamentável tudo isso que está acontecendo com essa minha parceira de alma.

Linda Simões disse...

Sãozita,


um bom final de semana pra ti e os teus queridos também. Estou achando tudo tão lindo no teu país!


Beijoquinhas,


linda Simões

Everson Russo disse...

Por mais que a gente veja coisas nesse mundo,,,ainda vamos nos chocar com o que está por acontecer,,,por um poder que o homem insiste em achar que tem....beijos de bom dinal de semana.

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Nunca é demais denunciar...alertar..mas, infelizmente , a lista não fica só na Anabela e na Sakineh.... O JN tráz quase todos os dias, notícias semelhantes e a própria televisão tem noticiado casos de agressão doméstica que estão a aumentar com uma velocidade incrível... A meu ver, os agressores deviam ficar presos...enquanto se reuniam provas e testemunhos...Desta forma, mal põe o pé na rua...cheios de raiva e cegos pela vigança...actuam como monstros.
Já se viu que, pô-los na rua...é um convite ao próximo crime...
Beijocas
Graça

Rafeiro Perfumado disse...

Infelizmente é a justiça que temos, em que ainda parece ser um crime menor ou desculpável dar uns sopapos na mulher. Enquanto não se fizer uma revisão a fundo do nosso código penal e, mais importante, das mentalidades, casos como o que relatas vão continuar a suceder. Beijoca!

Isa disse...

Sãozita,estou solidária SEMPRE com as vítimas de violência,de qq.forma!
Crítico a justiça por ñ ter desenvolvido meios para proteger as
vítimas que denunciam esses casos e acabam por ser mortas!
Beijo.
isa.

A. João Soares disse...

Quanto às leis dos países islâmicos, acho que comparadas com as nossas, são muito desumanas. Mas não tenho direito de voto, em tais países. Mas quanto ao que relata sobre Portugal, isso incomoda-me sobremaneira e, se a Justiça não condena rápida e severamente os homicidas, então haja homicidas que matem os responsáveis pela Justiça e as leis que a regem e que são responsáveis pela impunidade dos que matam as mulheres e outros semelhantes por motivos fúteis. Mas, caros amigos, se alguém molestar, mesmo que ligeiramente, esses dignitários do poder, tenham a certeza de que não ficarão impunes. É que a Justiça não é igual para todos.

Beijos
João
Do Miradouro

poetaeusou . . . disse...

*
amiga,
,
só teremos um mundo melhor,
quando as mulheres com a sua
sensibilidade conduzirem politicamente
os povos do nosso Planeta !
,
bem hajas,
,
um mar de benquerenças, deixo,
,
*

"Cantinho Poético" disse...

"A mais bela ponte construída no planeta é a distância entre um olhar e outro."

(Mario Prata)

Beijos na alma......M@ria

"Cantinho Poético" disse...

"A mais bela ponte construída no planeta é a distância entre um olhar e outro."

(Mario Prata)

Beijos na alma......M@ria

•!¦[•Mara Bombo•]¦!• disse...

Parabéns pela iniciativa, seu blog revela a realidade em que esse nosso Planetinha Azul vive. Precisamos de pessoas como você, para que o nosso Azul, não se transforme em Planeta Negro.
beijos
Mara Bombo - Adiemus

Talita Oliveira disse...

Flor, adorei seu blog!
=]

Obrigada pela visita e apareça sempre!

Beijos!

Sandra Botelho disse...

Um absurdo pessoas se acharem no direito de julgar outras...
Enoja...
Bjos achocolatados

piedadevieira disse...

Concordo, sim, com você , amiga.
É uma injustiça das grandes. Nem Jesus condenou aquela mulher, mandou que atirasse a pedra quem nunca tinha pecado. E ainda vemos isso nos dias atuais. Que barbaridade!
Beijos amigos.

AFRICA EM POESIA disse...

Sãozita

obrigada po passares. A Milanda disse que tinhas ligado.Obrigada pelo carinho. A viagem foi boa e está a correr tudo bem. mas...cansada..A tela foi escolhida por muita gente. o teu marido tbm gostou dela. feliz por isso.

Um beijo para os dois...

Apenas eu disse...

Hoje acordei cedo, o calor não me deixou dormir tranquila como é habitual até porque ainda estou de férias... cheguei aqui curiosa e fiquei "seca" por dentro, com o estomago colado ás costas, creio que até senti/sinto uma estranheza muito grande em mim. embora saiba que estas coisas tristes e inadmissiveis acontecem ler e ver assim a sangue frio doi.
de que é feita esta gente? quem se julgam? porque julgam? apedrejar... sinceramente... adultério? quem nunca errou que atire a 1ª pedra? é simplesmente desumano. alguém devia interferir.

é um horror.

beijinhos
vou espairecer que até estou bloqueada. e eu a pensar que tenho problemas...

NÉLIO FARATÉ disse...

Minha amiga estou solidário com todas as mulheres que tem razão. fui um grande defensor do Movimento Democrático das Mulheres após o 25 de Abril. Mas veja, há quatro anos que eu e o meu filho com 17 anos,sofremos de humilhações, Omissões e Traições violência psicológica, por não ter a coragem de sujar as minhas mãos para agredir a minha esposa. Não centremos as culpas todas nos homens, podem ser em menor número, mas também há bastantes a sofrer dos mesmos males que vós ! Tem a ver com o carácter de cada ser (humano).

psicoisapecat disse...

El juez dejó libre al maltratador, para que concluyese el trabajo dejado a medias: acabar con una vida, una vida productiva, la de una profesora que transmite valores, más aún siendo madre de familia que había vivido defendiendo su vida y la de sus hijos.
Si algo no debe haber cabida en el mundo, es la inclemencia que tienen muchos jueces y juezas cómplices impunes de asesinos que se proponen acabar con la vida de una mujer poco a poco por su narcisismo machista cruel y enfermizo.
Isabel

international wiews

Assine a Petição (click na imagem)

Pesquisar neste blogue

Joseph Addison

"A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor"




Labels

Sites úteis para bloggers

Flag counter 27.06.10

free counters
Related Posts with Thumbnails