18 agosto, 2010

Os Emigrantes


Uma pintura óleo sobre tela de Domingos Rebelo (1891-1975) nasceu em Ponta Delgada, frequentando, em Paris, a partir de 1907, a Academia Julian. Está exposta no museu, Carlos Machado em Ponta Delgada, Açores.


           Note-se que existem actualmente dois tipos de emigrantes, os que emigraram para conseguir melhorar as condições de vida e os que emigram para se especializarem técnicamente e ou exercerem profissões de alto nível técnico e científico, para as quais não há a possibilidade de evolução em Portugal. 
            Referênciando o primeiro tipo de emigrantes,  por vezes ouvimos falar muito mal desses emigrantes, criticar a sua vaidade quando vêm à terra natal, uns porque já não falam português, outros porque tudo o que é de fora é que é bom... com tudo compreende-se que gabem o país de acolhimento, pois lá conseguiram o que aqui seria uma miragem! Portugal não lhes proporcionaria uma vida decente, nem seria nunca, a via para a concretização dos seus sonhos.
              É essa vaidade que julgo estar ímplicita e subjacente aos referidos emigrantes. Relativamente ao esquecimento da língua, uns falam a língua do país de acolhimento para mostrar que conseguiram aprender e integrar-se, outros porque querem passar-se por turistas e aínda aqueles que na tentativa de que quem os rodeia, não saibam do que falam! Em todo o caso as más línguas, revelam a chamada " dor de cotovelo ", manifestada por quem não teve a coragem de arriscar, de dar o "salto" e se mantém limitado e resignado com a vida que tem!
             Relativamente ao segundo tipo, na maioria das vezes, não nos apercebemos sequer que são emigrantes, a não ser que nos digam, emigram sobretudo pela valorização profissional e curriculum, que após o regresso os catapulta para mais altos desempenhos pela via da experiência adquirida e consequentemente também mais e melhores oportunidades.
             Tudo o que aqui referi, vem a propósito de os emigrantes, nem sempre serem bem entendidos, e acabam por ser considerados como estranjeiros no próprio país, e daí uma injustiça. Os emigrantes têm sido uma mola impusionadora da economia nacional, com o envio de remessas das suas poupanças e nota-se a sua importância no volume de depósitos efectuados. Caberia à Terra mãe, criar condições de apoio para que não esqueçam a língua materna e para que acalentem o desejo de um dia regressar. Deveria quem nos governa, criar condições de desenvolvimento e de oportunidades para que não sintamos necessidade de emigrar, ou que a isso não sejamos obrigados!
            Os emigrantes, devem ser  acarinhados, apoiados e reconhecidos, pois pelo seu suor e sacríficio, pelo que contribuem e muito, para o desenvolvimento do país. Pergunto... porque se fecham consulados por esse mundo fora? Porque não existem verbas para o ensino da língua portuguesa? Porque se retiram cada vez mais os apoios às comunidades portuguesas?
Portugal esquece os seus filhos, como quer obter o retorno? Como não quer ser esquecido?
          Com este pequeno texto, pretendo deixar um apelo de compreensão pelos nossos conterrâneos e sobretudo a ideia da sua importância, de forma a que fique bem claro que é preciso mais apoio a quem lá fora trabalha. Que os políticos não se lembrem dos emigrantes,  só aquando dos períodos eleitorais!



56 comentários:

Deia disse...

Oi Saozita! De cá, nós temos o outro lado da moeda: Os imigrantes que aportaram no Brasil e dedicaram-se, e muito, para daqui fazerem sua pátria. Trabalham longas horas, são fiéis à terra que os acolheu e responsáveis. E, quase todos nós brasileiros temos, em algum cantinho do nosso sangue, o bom e velho sangue português a correr-nos nas veias!
Temos orgulho daqueles que daí saíram em busca de oportunidades e chamam nosso Brasil de casa! Um beijo, Deia.

Vivian disse...

...desde que os imigrantes
conservem o amor e respeito
pela pátria mãe, nada os
impede de ganhar o mundo
em busca de seus sonhos,
porque bem sabemos que
sonhos não conhecem
fronteiras.

belíissimo post.

beijos, menina!

Chica disse...

Linda tela e reflexivo e bem acertado teu texto!um beijo,tudo de bom,chica(e dos políticos, devemos nos acostumar a não esperar nada...eles pensam apenas neles)

Graça Pereira disse...

Este óleo...está fabuloso! Nas cores...nos detalhes...
Fabuloso está também o teu texto com o qual concordo plenamente...
A mim...chamaram-me pejorativamente
"retornada" ...eu que me sentia apenas refugiada...por não ter retornado a nada. Mas era a terra dos meus Pais e dos meus antepassados...sofri muito em vários aspectos...valeu-me o meu espírito de humor...brincava com eles " Olhem, quando eu morrer, ponham lá um letreiro "Aqui jaz uma retornada"..Amaciaram...mas levou tempo...
Beijos
Graça

SAM disse...

Querida Saozita,

amei a tela, o texto e o video. Sobre o texto, muito bem escrito, achei maravilhoso porque você escreve com ponderação e justiça, amiga.

Carinhoso beijo, Saozita.

Franck disse...

Post interessante e questionador... Dou aulas de geografia e num momento não teria como não falar das migrações, que é uma faca de dois gumes, principalmente para os paises colonizados...
Alguns amigos foram estudar fora do país e por lá ficaram, por ganhar mais, terem sido reconhecidos, o que chamamos de 'fuga de cerébros'... E há a migração no próprio país, de uma região para outra e msm dentro do msm país há discriminação...
Abçs e um bom resto de semana!

Alvaro Oliveira disse...

Amiga Saozita

depois de uma ausência forçada, passo de novo em seu belo espaço,
esperando assim poder ser mais presente.

Uma bela postagem, com a qual corroboro em pleno com seu ponto de vista em referência aos emigrantes portugueses. No meu entender, certas actos que demonstram, entendo que será tão e
somente um reconhecimento pelo país que os acolheu e lhes deu a possibilidade de terem o que no seu país dificilmente conseguiriam.

Beijos

AQlvaro

AFRICA EM POESIA disse...

Sãozita
Um beijinho para ti amiga...

Sei que ligaste.
Eu acabo as férias a 30 e vou ao Porto a 31.

Beijinhos

Aos emigrantes o meu respeito.

Suziley disse...

Oi, Saozita:
Que lindo quadro pintado, que belo texto, que belo vídeo e música. Os pais (já há muito falecidos) do meu marido fazem parte dos emigrantes do primeiro grupo de que fala. Vieram da Ilha de São Miguel de Açores. Aqui, foram acolhidos e aqui tiveram os seus filhos. Enfim, todos os imigrantes que aqui chegaram somente nos enriquece como povo. Aliás, o Brasil nasceu, também, do sangue português. Por isso os amamos e os respeitamos. Um grande beijo ;)

Vitor Chuva disse...

Olá Sãozita!
Este é um tema vastíssimo, e com muitas maneiras de lhe pegar.Emigração sempre houve desde que o mundo é mundo - e sempre haverá.Faz parte do espírito humano o querer procurar melhores condições de vida, sobretudo quando as que tem não lhe chegam.No fundo, qualquer um de nós poderia, ou poderá um dia, ser emigrante.E todos merecem respeito, tanto no país de origem como no de acolhimento. Mas o ser humano está muito longe de ser perfeito, e condiçoes, reais ou imaginadas, nunca faltam para que se gere a incompreensão entre os que são emigrantes e os outros, e as "culpas" da mesma nunca caem num só lado ...
Estaria aqui o resto da noite a discorrer sobre o tema e o assunto não se esgotaria, tão vasto e importante ele é ... de modo que, por agora, fico-me por aqui.

Gostei de ler.
Beijinhos.
Vitor

Sonhadora disse...

Minha querida
Uma tela lindissima, um texto profundo e a musica linda...tudo perfeito.
Adorei.

beijinhos
Sonhadora

Fernanda disse...

Minha querida amiga Sãozita!

Este é um tema muito oportuno e tu foste muito feliz na forma como o abordaste!
Parabéns!

Ana Martins disse...

Boa noite Sãozita,
concordo na integra com tudo o que aqui nos trazes, mas repara, como é que Portugal pode apoiar os Portugueses fora do País, se Portugal não apoia os que cá estão?
Como pode apoiar os nossos emigrantes, se desapoiou os seus soldados, os que lutaram pela Pátria e que ainda hoje sofrem e choram os horrores da Guerra?

Os nossos políticos só se lembram mesmo de todos os Portugueses nos períodos eleitorais.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

SolBarreto disse...

Excelente texto...
Acredito que não seja facil ser um emigrante ou imigrante...em qualquer uma das situaçoes houve muita luta, muito esforço, muito trabalho, muita tristeza...
Lindo quadro onde expressa bem o que quis dizer no meu comentario...

Pelos caminhos da vida. disse...

Lindissíma tela.

Fiquei contente com sua visita Sãozita, espero te ver de novo Pelos Caminhos da Vida.

beijooo.

"Cantinho Poético" disse...

O amor eterno é o amor impossível.
Os amores possíveis começam a morrer
no dia em que se concretizam.

Eça de Queiroz

Saudações Poéticas!! M@ria!

El ave peregrina disse...

Saozita, contigo estou, miña nena, os emigrantes cando emigran...é por necesidade, e por atopar ese cachiño de pan, para darlle os seus fillos...os emigrantes cantas pasaron... e cantas pasan...cada un é un mundo,uns olvidan as súas raices...outros nunca esquencen... a terra que os viu nacer...
Aínda que non son filla de emigrantes , teño xente directa que foi e é.

Unha aperta para todos eles.

Besos,amiga, e graciñas pola túa entrada.

Pena disse...

Sublime Amiga:
Um texto bem real que retracta a ida de gente sofrida para longas paragens em busca de uma melhor qualidade de vida que em Portugal não possuem.
Este facto não me é indiferente tenho algumas pessoas na minha família próxima que o fizeram.
Escreve com um sentido literário perfeito.
Li e gostei.
Parabéns sinceros.
Beijinhos amigos de respeito gigante ao seu doce sentir.
Sempre a lê-la e a admirá-la

pena

Bem-Haja, pela ternura expressa no meu blogue. Adorei.
MUITO OBRIGADO, amiga que irradia uma luz de sonho e de perfeição.
É fabulosa.

Roberta disse...

Obrigada por retribuir a visitinha no meu blog.
Volte Sempre, você é muito Bem vinda!

Uma ótima Quinta xD

Beijos

www.rferragut.blogspot.com

Everson Russo disse...

Beijo carinhoso de bom dia pra ti querida.

Marilu disse...

Querida amiga, linda tela, belo texto explicativo...e eles continuam a chegar em qualquer parte do mundo...Beijocas

MIUÍKA disse...

Olá amiga,muito obrigada pela visita,pelo comentário simpático e ainda por seres minha seguidora.
Gostei do teu blog e dos temas que afloras,bastante pertinentes e na ordem do dia,precisamos todos de não tapar o sol com uma peneira.
Mais uma vez obrigada e um beijinho...Miuíka

Maria Lúcia Marangon disse...

Sou bisneta de um emigrante português, Manuel Oliveira Duarte. Ele viveu 94 anos. Nunca, nos meus 53 anos de idade, conheci uma pessoa que tivesse mais bondade no coração do que ele. Minha bisavó era brasileira e era uma senhorinha muito brava (rsrs...). Vovó era a tempestade e vovô era a calmaria. Os dois tinham a mesma idade e ela faleceu um ano antes dele. Ele adoeceu, pois não conseguiu viver sem ela. Ficaram quase 70 anos juntos. Minha família tem Portugal e o povo português no coração. Por isso, fico muito feliz de ter você, Lili, Luísa, Ana e César fazendo parte da minha vida blogueira.
Muitos beijos para você Sãozita.

Vanessa Monique disse...

Obrigada, obrigada mESMO.
Gostei mt da tela.
Meu pai gosta mt de Portugal, um dia qrms visitar Portugal.

:*

JB disse...

Relembro muito da fase da minha vida, porque os meus pais foram emigrantes em França e foi onde vivi até aos 13 anos! Gostei muito, independentemente das saudades. Custava mais olhar as saudades dos meus pais quando falavam da família que tinham em Portugal e onde vínhamos todos os anos... em Agosto, claro!

Gostei muito do seu blog!
Continuarei a ler!

Beijinho

Céci disse...

olá Saozita,

Obrigada pela tua visita e comentário, e ainda bem que passaste pelo Inspiração, porque gostei do teu bloque e dos temas.

Este do emigrante está perfeito.

Bjinhos

Céci

piedadevieira disse...

Querida, todos nós somos, por que não, imigrantes de terras desconhecidas, "navegar é preciso, viver não é preciso", assim dizia o grande poeta.Pena que muitos desconhecem essa máxima.Concordo também sobre os políticos.
Um beijo para você.

Luciana Penteado disse...

Muito interessante e consciente este post. Os emigrantes devem, sem dúvida, ser reconhecidamente acarinhados, apoiados, concordo contigo. Ótimo texto!

Beijos pra ti, lindo o seu blog!

Machado de Carlos disse...

Adoro a Língua Portuguesa, principalmente a língua falada e escrita em Portugal. Parece uma língua mais perfeita.
Por aqui, com o evento da Internet, o linguajar tem mudado muito, principalmente com a entrada de novas gírias, e também pela introdução do Inglês, que muitos falam o inglês irreal, ou seja, dos produtos que entram com facilidade, principalmente equipamentos eletrônicos.
Também noto certa mudança por causa de novelas, pois os personagens insistem em falar o linguajar popularesco.
O Brasil é um País muito grande, talvez um dos que mais falam a língua portuguesa, havendo uma mudança do pessoal do norte ao pessoal do Sul, enfim em cada Estado (aí, Província), existe uma forma diferenciada de falar.
Existem poucos que saem do Brasil, com exceção de alguns que entram nos Estados Unidos, de forma irregular, mas de uma forma bem menor.
Eu não penso em sair do Brasil. Acho que o Brasil, é um dos melhores países do Mundo, por causa da liberdade, do tamanho e da facilidade para viver.
Tenho um amigo que veio de Leiria, e nunca pensa em sair do Solo Brasileiro, e eu que tenho sangue português, inclusive minha avó materna veio de Leiria também.

Um Abraço,

CeliaAlma disse...

Olá Vizinha, acho que até agora és a pessoa mais próxima que conheci na net. Gostei imenso do blog, voltarei sempre. Espero que continues a visitar o Ninho ou os outros. Beijo.

José disse...

Olá Saozita!
Em primeiro lugar deixo-me dar-lhe os meus parabéns pelo excelente texto,Concordo com tudo o que diz, eu também fui emigrante, fui em busca da daquilo que o meu pais não me deu,estive na Suiça,posso dizer que fui lá melhor tratado, que aqui no meu país, embora por vezes sentisse aquele olhar de alguns Suíços, que não gostam dos imigrantes,e têm um olhar assim de carneiro mal morte.
Estive a ler o comentário da Ana Martins, e ela diz tudo aquilo que eu penso também, por estas e por outras, é que eu escrevo assim do jeito que escrevo,sou uma pessoa de bem com a vida,gosto muito do meu pais, não gosto é de que o governa.
Desculpa lá este desabafo.

Um beijinho grande,
José.

Mgomes - Santa Cruz disse...

Amiga Sãozita: linda pintura e um texto belissimo adorei sabes não sou pessoa de escrever grandes comentários simplesmemte digo aquilo que sinto e gosto.
beijinhos
Santa Cruz

Imagem e Poesia disse...

Oi, amiguinha!
Concordo plenamente com tuas colocações e te digo que também ocorre com brasileiros que se aventuram mundo afora, e maioria consegue sucesso, mas...
Belíssimo quadro e perfeito escrito.
Beijinhos
Ceiça

Juliana Sphynx disse...

Bastante sintetizado
Bom final de semana!
=)

Wanderley Elian Lima disse...

Olá
Obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário. Quando puder volte, vou gostar muito.
Te sigo
Bjux

poetaeusou . . . disse...

*
da tua sensibilidade,
á tela, da tela ás palavras,
das palavras á tua lucidez,
da lucidez á justeza das tuas
intenções, faço meu o teu texto,
se tu o permitires !
,
serenas maresias, deixo,
,
*

Multiolhares disse...

Sabes eu penso que o mais importante é o respeito de parte a parte todos somos seres que o merecem independente se estamos no país ou fora dele, tenho o meu filho na Irlanda sei o sentimento que existe em muitas pessoas que saíram, mas continuo a dizer o respeito é essencial
Bj

Luciana disse...

Olá

Muito obrigada pela visita e vim retribuir a visita


Bjs e bom fim de semana

Tânia Marques disse...

Querida, já estou em seu blog. Não perderemos o contato. Eu te adicionei no meu Twitter também. Beijos em seu coração.

Marilu disse...

Querida amiga, tenha um lindo final de semana...Beijocas

Andrea Pagano disse...

Oi amiga Saozita!
Vim lhe agradecer por toda força que me deste todas essas semanas, passando lá no blog, dando seu carinho, sua ateñção, muito obrigada!

Em relação aos emigrantes, relamente em muitas vezes são eles que fazem o pais desenvolver e assim produzir trabalho para todos.

Aqui no Brasil, nos ensinam nas escolas que os portugueses, fizeram uma colonia de exploração e não de crescimento, trazendo muitos bandidos e pessoas não gratas à Portugal.
Que mataram muitos indios e que levaram muito ouro para Portugal.

Infelizmente não posso saber se é verdade ou não, mas infelizmente é o que dito nas escolas e é o que é ensinado à nos e nossos filhos...

Bjs e fique com Deus!
Obrigada mais uma vez!!!

AFRICA EM POESIA disse...

Sãzinha
Um beijinho.
tive um encontro de amigos.. Foi uma noite linda...
Bomfim de semana para ti

Outro beijinho

AFRICA EM POESIA disse...

Sãozita


com um beijinho e desejando um feliz fim de semana...

LAGO LINDO


Lago lindo
Com água límpida...
Com patinhos
Que vão nadando...

Vão nadando...
E vão namorando...
E nas tuas águas
Vivem o amor...

Amor límpido...
Amor sem raiva...
Amor sem inveja...
Amor sem ciúme...
Porque não sabem...
O que isso é...

Só sabem...
Que nadam...
Que partilham...
Que amam...
E que são felizes...

LILI LARANJO

Sandra disse...

OLA..TUDO BEM!!!

VENHO LHE DIZER QUE VOCÊ É: MUITO IMPORTANTE PARA MIM..
AINDA LEMBRO DE VOCÊ.
VOCÊ AINDA É IMPORTANTE!
VOCÊ AINDA É AMADO!
VOCÊ AINDA É ESPECIAL!
JAMAIS ESQUECEREI DE TI...
POSSO DEMORAR..MAIS MEU CORAÇÃO TEM O SEU CORAÇÃO.
POR ISSO VENHO AGRADECER O SEU CARINHO..A SUA TERNURA..A SUA VISITA. COMO É BOM TER AMIGOS QUE COMPARTILHAM E ESTÃM SEMPRE JUNTO DE NÓS. ESTE CANAL NOS UNE SEMPRE.
ATÉ PELO PENSAMENTO..
A ALEGRIA DE VER NESTA CASA ME FAZ MUITO BEM. POIS MESMO LONGE PENSAMOS UM NO OUTRO. MUITO OBRIGADA PELO CARINHO..PELA AMIZADE QUE NOS CERCA..NOS ENVOLVE..
ME SINTO FELIZ COM VC POR AQUI..
VOCÊ É MUITO ESPECIAL...
DESEJO DE TODO O MEU CORAÇÃO, MUITO AMOR..PAZ E SAUDE.. UM LINDO E BELO FINAL DE SEMANA ..
CARINHOSAMENTE,
SANDRA

Jorge Sader Filho disse...

A situação brasileira é bem selhante, Saozita.
A fuga de talentos é grande.
Com o desenvolvimeto atual, estão voltando, maos aos poucos.
E a politicagem acompanha silenciosamente.

Carinho,
Jorge

Amor feito Poesia disse...

Nas horas tardias que a noite desmaia
Que rolam na praia mil vagas azuis,
E a lua cercada de pálida chama
Nos mares derrama seu pranto de luz

Fagundes Varela

BOM FDS.....Beijos no coração!!M@ria

M@ria disse...

Não me negue as flores,
pois, tiro delas a minha essência!
seu perfume, é minha inspiração...
seu colorido, é minha alegria...
sua beleza, é minha vida!

Jacira Cardoso

OBS: Leve este mimo que te ofereço com muito carinho.....M@ria

Mariane disse...

Lindo texto pintado por tuas palavras.
Vim agradecer tua visita nAs Cores que Sou... e que grata surpresa em encontrar aqui tão bela alma,
voltarei mais vezes...
Beijos

Mafii disse...

muito obrigada! Bom fim de semana para sim tambem =) *

Daniel Costa disse...

Sãozita

A tua reflexão é muito pertinente. Os governantes que hoje temos, já não colherão o benefícios da remessa dos emigrantes, como outrora. Daí que haja a tendência para esquecerem, o seu valor extra fronteiras a prestigiar o país de origem. Ora, se o próprio país os esquece, o que se espera?
Beijos

MEUS POEMAS disse...

Estava com saudades de vc Sãozita, que bom que apareceu!
Que delicia receber tantas visitas, vc faz sucesso, parabéns!
Bjs pra vc amiga
Gena

legalmente loira... disse...

querida amiga, adorei te receber.
lindo espaço!
ja estou com você também.
o texto é divino bem oportuno a tela linda e a música perfeita.
bjos com carinho.

Aleska disse...

Estes trechos me deixaram pasma: "outros porque tudo o que é de fora é que é bom" e "Que os políticos não se lembrem dos emigrantes, só aquando dos períodos eleitorais!"
Isso porque se parece muito com a realidade aqui do Brasil. Nós estamos acostumados a achar que os estrangeiros são mais capacitados, o que não é verdade, somos só mal-aproveitados devido aos anos de politicos corruptos que só lembram de nós na época de eleição. mas devo fazer justiça ao governo Lula também, foi o melhor que tivemos, mas ele não pode acabar com essa mentalidade que temos há séculos, afinal sempre que se quis melhorar o Brasil trouxeram imigrantes. Um Beijo!

EDER RIBEIRO disse...

Pelo visto nossos paises falam a mesma língua neste quesito. Bjos.

SUZETE disse...

Muito bom este post, toda migração é dificil. Sou portuguesa e Santa Maria Açores, moro no Brasil há 49 anos e vejo que mesmo mudando de cidade aqui, é como se fossemos estrangeiros, até fazer conhecimento e amizades é dificil, perunto-me sempre onde anda o calor humano?Bjos.

linda lourenco disse...

Bonjour Sãozita :)

Muito belo o teu texto,adorei por vários motivos.O primeiro porque sou francesa de Pais franceses.
Meu marido é Português e emigrou 30 anos em franca desde os 4 anos de idade.
Não foi fácil a integração,temos que mudar tudo imitar os outros par falar :)
As vezes era só rir,outras vezes era triste.
Mas o povo português é muito Simpático e acolham bem os outros seja qual for a nacionalidade.
Não tenho razão de queixa,muito pelo contrário.
Verdade que quando disseste que durante as férias,por exemplo esquecemos nossa língua,porque o ano todo falamos outra língua...
Não é sempre e não é por mal
A minha irmã que gosta de ouvir eu a falar,sim..misturo .Ela esta habituada dos:(ta bem,pois é) palavras franco português!!
Já la vão 15 anos..
E e garanta que metade de mim ficou
Lá.Penso que é normal e meu marido também sinta o mesmo.
Beijinhos Para ti e para todos migrantes e imigrantes de todo mundo:)
Linda.

international wiews

Assine a Petição (click na imagem)

Pesquisar neste blogue

Joseph Addison

"A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor"




Labels

Sites úteis para bloggers

Flag counter 27.06.10

free counters
Related Posts with Thumbnails