23 junho, 2010

Lágrima de Preta - actualíssimo em tempos de racismo emergente

Lágrima de Preta e Pedra Filosofal são os poemas que mais aprecio de António Gedeão, pseudónimo de Rómulo Vasco da Gama de Carvalho.
Lágrima de Preta, era lido nos bancos da escola no livro de Português do ensino preparatório, ficou-me na memória e aqui o recordo e partilho com muito carinho. A mensagem anti-racismo que nos transmite o poema, cantada na voz de Adriano Correia de Oliveira é sem dúvida lindo.

Outros poemas do autor

Saiba mais sobre Rómulo de Carvalho (António Gedeão)



Poema: António Gedeão
 Lágrima de Preta
 > 



Encontrei uma preta


que estava a chorar,

pedi-lhe uma lágrima

para a analisar.



Recolhi a lágrima

com todo o cuidado

num tubo de ensaio

bem esterilizado.



Olhei-a de um lado,

do outro e de frente:

tinha um ar de gota

muito transparente.



Mandei vir os ácidos,

as bases e os sais,

as drogas usadas

em casos que tais.



Ensaiei a frio,

experimentei ao lume,

de todas as vezes

deu-me o que é costume:



nem sinais de negro,

nem vestígios de ódio.

Água (quase tudo)

e cloreto de sódio.



Rómulo Vasco da Gama de Carvalho (Lisboa, 24 de Novembro de 1906 - Lisboa, 19 de Fevereiro de 1997),português, foi um químico, professor de Físico-Química do ensino secundário, pedagogo, investigador de História da ciência em Portugal, divulgador da ciência, e poeta sob o pseudónimo de António Gedeão. Pedra Filosofal e Lágrima de Preta são dois dos seus mais célebres poemas.


Académico efectivo da Academia das Ciências de Lisboa e Director do Museu Maynense da Academia das Ciências de Lisboa. O dia do seu nascimento foi, em 1997, adoptado em Portugal como Dia Nacional da Cultura Científica.


«Cada um de nós tem contribuído para que as desigualdades no mundo se agravem. Quando os países mais ricos não contribuem para o desenvolvimento dos mais pobres;

- Quando adquirimos qualquer objecto olhando apenas aos preços e sem nos preocuparmos com questões como, "por quem foi feito, "aonde foi feito", "como foi feito".

- Grandes marcas que são símbolos de status, na nossa sociedade são efectivamente produzidas em países de mão-de-obra barata e até grande parte das vezes, mão-de-obra infantil permitida pela extrema carência da sobrevivência  de que se aproveitam as multinacionais ocidentais e nós mesmos. Tudo pelo egoísmo, a ganância de grandes margens comerciais e a nossa vivência das aparências.

São atitudes destas que levam a que em muitas zonas do mundo as condições de sobrevivência sejam dramáticas e a exploração do homem pelo homem uma realidade e despoletam o racismo, o ódio e a discriminação.

O racismo e outras formas de discriminação resultam de todos estes precedentes. são consequências de uma sociedade que está doente, imersa num profundo egoísmo, mergulhada na superficialidade, na aparência e na futilidade.

Podemos mudar muita coisa, e a mudança terá de começar por nós próprios, na forma como nos assumimos e respeitamos os nossos semelhantes. Um mundo melhor e mais justo, depende de cada um e começa mesmo por mim. »
 
Texto de Victor Simões meu marido.



61 comentários:

Celma disse...

Olá. gostei muito tab do teu e com a mesma honra adciono ele aos meus blogs favoritos e tab mais uma nova amiga
beijos
Saúde e Paz.
Celma

Fernanda disse...

Olá amiga Sãozita!

Sempre gostei do poema da Lágrima de preta. Julgo sabê-lo de cor, também muito graças ao facto de ter sido cantado magistralmente por Manuel Freire.

Perfeito o texto do Victor, mano da minha amiga Ana e colega do meu amigo João Soares.
A fusão poema e texto está fantástica, compeltam-se, casam-se maravilhosamente.

A verdade está toda dita amigo Victor, não hajam dúvidas de que enquanto não forem repostos os valores cívicos, morais, constitucionais, fraternais e igualitários a tendência é para que as fobias, tais como, xenofobia e racismo aumente.
Não esqueçamos da forma como dramaticamete cresce o número de extremistas de direita, de nazis.
Amigos, este seria assunto para muitos textos e longos comentários...

Beijinhos a ambos.

Tenho que vos dizer só mais isto, vivi cerca de 12 anos na Maia, na Urb. Novo Rumo. Conhecem???
Temos amigos que habitam aí, eventualmente comuns :))
O Mundo é mesmo pequeno!


Na casa do Rau

Andrea Pagano disse...

Olá Saozita, boa noite!
Realmente é de profunda sensibilidade... E as palavras de seu esposo que força!

Sabe, o racismo e a desigualdade é uma das coisas que considero mais crueis porque leva à solidão e ao desespero, pessoas que não conseguem trabalho e respeito por causa de sua cor de pele ou raça, sofre a tristeza da solidão das impossibilidades, da falta de oportunidades...

É a privação do existir! Não se pode privar nada de existir!
Parabéns!
...
Querida, obrigada pelo carinho ali deixado em post, infelizmente ofensa é crime e iremos sim consultar um advogado pois fomos muito expostos...
Não por vingança, mas para que isso de fato não se repita mais com ninguem!
Se eu não me defender, quem o fará?
Obrigada e volte sempre!
Bjs, com carinho

alegria de viver disse...

Querida Saozita

Lindo, tudo é maravilhoso o poema e o texto. Infelizmente ainda não temos capacidade para entender que somos todos iguais.

Com muito carinho BJS.

claudete disse...

Parabéns pelo espaço que é cultura viva e dinâmica, lisongeia-me têla como seguidora, obrigada. Abraços, Claudete

M@ria disse...

Poema lindíssimooooooo....Parabéns!!

Luís Coelho disse...

Gedeão continua sempre actual com grande beleza nos seus poemas.

O racismo era brancos/pretos.
Hoje o racismo é entre todos os povos e nações.

Espero que os novos tempos tragam mais amor e compreensão entre todos os povos e nações.

Exploração infantil é uma realidade neste século
mantida e explorada por pessoas sem respeito.É um problema de cultura e oportunismo político.

Milai disse...

Olá Sãozita!
Também me lembro de no meu compêndio de Português existir este poema de que sempre gostei muito.
Obrigada por mo fazer recordar.
Quanto ao texto do seu marido concordo inteiramente com ele e assino em baixo.
Beijinhos

São disse...

Foi bom ter vindo descobrir quem era!

Saudações.

Faria disse...

Bom dia Saozita, Bom dia Victor Simões, tenham um Bom S. João, já que gosto mais das festas históricas e tradicionais do povo, do que de "futebóis".
Obrigado pelos cumprimento no Zémaiato.
Pois, como nos transmite António Gedeão, todos os homens nascem iguais e iguais partem, os bens materiais são enfeites ou amuletos que transportam em vida. Abraço de amizade.
José Faria

rouxinol de Bernardim disse...

Sempre actual esta luita contra essa erva daninha chamada racismo!
Parabéns

Linda Simões disse...

Casamento perfeito.Poema e texto,não precisam de mais palavras.

Parabéns.


Bom S.João.


Um abraço,


Linda Simões

Deia disse...

Saozita, mutio bom ter colocado a letra para que acompanhássemos a música. Assim, não perdemos de vista o profundo significado dessas palavras assim organizadas. Bom gosto no tema e na composição do post como sempre! Um grande beijo, Deia.

ANIMAÇÕES disse...

Bem forte a mensagem
realmente temos que fazer de tudo pra acabar com a desigualdade, de todas as formas, de todas as opressões..

um beijo

Veronica Arteira disse...

Oi, Sãozita, vim agradecer sa visita ao meu blog e paro aqui lendo palavras que me prendem a atenção, preocupada que sou com o nosso querido planeta. Vou deixar um link para esta leitura na minha página de reciclagem ,ok?
Qdo tiver temp, visite meu blog de artesanato e conheça o meu trabalho com reutilização de jeans e retalhos que iriam para o lixo.
http://veronicaarteira.blogspot.com

Canduxa disse...

Saozita,

na realidade este poema toca a nossa alma, pois serve de grande reflexão.
Desejo-te também um bom S. João.

Mil beijinhos

Canduxa

Valéria Gomes disse...

Bom tema!!!
Bom mesmo seria se fóssemos todos da cor do coração.

Beijocas!!!

Marilu disse...

Minha querida amiga Saozita, sou contra qualquer tipo de discriminação. Temos que ter a consciência que nossas lágrimas, nosso sangue, em todas as etnias tem a mesma cor, que todos sentimos a mesma dor.Temos que tentar acabar com esse "monstro" que é o racismo...Parabéns...Beijocas

Daniel Costa disse...

Saozita

O poema, menos, mas ainda hoje será a propósito ser divulgado, não só pelo nome do autor, que quanto a mim, está londe se ser o seu melhor poema, mas pelo anti-rácico que encerra. De facto, as desiguagades do mundo tendem a agravar-se pelo egoísmo de todos.
Quanto ao AMOR NA GUERRA, está a ser analisado na editora PAPIRO para edição, mas há já a indicação de que interessa. Se for publicado, terá o inededismo de ter sido da idéia de uma praça, que escreveu diário jã com a intenção. A praça saltou para editor e nunca teve tempo de mexer, não tem motivções políticas, apenas a vida de praças em guerra.
Daniel
Daniel

Rogério Pereira disse...

Vim hoje pela primeira vez...
Senti-me bem e vou continuar!

Abraço a ambos

Mariazita disse...

Querida Sãozita
Os nossos gostos coincidem: também gosto imenso de "Lágrima de preta" e "Pedra filosofal". De resto, eu gosto muito da poesia de António Gedeão - prefiro tratá-lo pelo pseudónimo que adoptou para escrever poesia.
O "Lágrima de preta" é uma declaração clara anti-racista. Na verdade não há diferença entre lágrimas de pretos e de brancos; têm todas a mesma composição.

O texto do seu marido está excelente, muito verdadeiro e, infelizmente, actual.
Ainda há muita injustiça no mundo, muito trabalho escravo (há chineses a trabalhar um dia inteiro por um prato de arroz), muitas crianças executando trabalho de adultos, nas piores condições que se possam imaginar.
Há, portanto, muitas coisas a precisarem de mudança. Mas essa mudança só será efectiva se partir de dentro de nós, a começar em cada um de nós.
Será um trabalho hercúleo, mas, com boa vontade de todos, o futuro pode ser mais risonho do que o preente.

Tenho a sensação de que me alonguei demais... Desculpe.

Uma noite feliz. Beijinhos

Ana Martins disse...

Boa noite Sãozita,
este é um dos poemas de António Gedeão que mais gosto, direi mesmo que é uma sublimação da poesia.

Quanto ao texto do Victor, partilho da mesma opinião, os primeiros passos para melhorar o mundo pode e deve ser dado por cada um de nós. Não basta dizer não ao racismo, à escravatura e ao trabalho infantil, é urgente que o mostremos também em actos.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

maria teresa disse...

Gedeão escreveu poemas lindíssimos, penso ter quase toda a sua obra, sem dúvida que este se aplica ao tema... é sempre bom relembrá-lo, considero-o um humanista.É de lamentar que nem toda a gente consiga meditar nas palavras registadas...

Linda Simões disse...

Saozita,

obrigada pela força. Graças dou a Deus por estar tudo em paz com os meus familiares e amigos.Mas me sinto impotente diante de um quadro tão devastador.São muitas famílias desabrigadas, sofrendo o horror da perda, sem norte...

Que bom que passaram um S. João em paz,no lar.Que continuem em harmonia.


São os meus votos,

Linda Simões

Rouxinol disse...

Adorei o poema e adorei o texto de seu marido!!
É bom deixar de pensar no individual e pensar mais no coletivo!!
Uma boa quinta-feira pra você!!
Beijossss

Amor feito Poesia disse...

Tem selinho aqui prá todos os meus amigos.
Venha buscar os seus.....Carinho meus! M@ria

Suziley disse...

Lindo espaço o seu Saozita, lindo blog. Já estou lhe seguindo. Desejo-lhe um bom dia, beijos no seu coração!! Ah, lindo o seu anjo da guarda!! :)

Anne Lieri disse...

Saozita,muito bem feito seu blog com textos inteligentes e atuais.Comovente e bela a poesia escolhida para postar!Um grande alerta no artigo escrito por seu marido!Adorei e assino embaixo!Bjs,

cantinho she disse...

Olá, olá! Prazer, vi que vc está seguindo lá o meu Cantinho, seja muito bem-vinda e volte quantas vezes vc quiser, viu?! Fique à vontade por lá! Tô tentando te seguir, mas tá dando erro aqui, então depois eu tento novamente e prometo também voltar com mais calma pra te ler.
Beijo, beijo!
She

Felina Mulher disse...

Boa tarde,

Um belo poema....agradeço a partilha!
Seja bem vinda ao mundo virtual de Felina.

Um beijo carinhoso.

Mariazita disse...

Querida Sãozita
Abra os braços para receber o abracinho que lhe trago :) E o meu carinho vem junto...
Obrigada por ser minha amiga.

Beijinho de boa noite.

Fernanda disse...

Querida amiga!

Preciso de falar contigo.
Desculpa mas acho que já nos tratamos por tu, eu tenho esta mania, mas depois fico sempre na dúvida e não quero ferir susceptibilidades.

Como no perfil não está o contacto, falei com a Ana, mas chegou o momento de falarmos.
O meu está no neu perfil.
Contacta-me, por favor.

Beijinhos

Vinicius Carvalho " um homem m volta do mundo " disse...

Olá vi que vc esta seguindo o meu blog! Claro eu tbm sigo o seu!!
Adorei tudo por aqui!!...rs Preciso aprender como fazer.
Bom hoje foi um breve passeio, mas prometo voltar com mais calma, e dar a atenção que seu blog merece!
Um beijo e ótima noite de quinta-feira!

Ps: Abraços ao seu marido!

Vinicius.C

Cida disse...

Sãozita,
amei tanto o poema da lágrima (muito lindo!), como o texto do seu marido (de os parabéns a ele por mim).
Se cada um for fazendo a sua parte, no final já vai fazer alguma diferença, não é mesmo?

Abraço forte, e tenha um ótimo final de semana.

Cid@

Andrea Pagano disse...

Olá Sãozita,

Voltei para lhe agradecer novamente e dizer que tudo, absolutamente TUDO que vc esta lendo é real...

Passei por muitos momentos tristes, mas soube enfrenta-los com a ajuda de Deus e hoje posso dizer que foi um aprendizado!

Tens muitas coisas que também ainda não escrevi...mas um dia farei...

Bjs e obrigada

Oliver Pickwick disse...

É um post-revista: tem poesia, declamação e um artigo sobre um tema, infelizmente, ainda arraigado em quase todas as sociedades. Muito apropriado para dos dias de hoje.
Obrigado pela visita ao condado.
Um beijo e bom fim de semana!

J.Ferreira disse...

É quase como visitar uma biblioteca.
Autores que eu também aprecio.
Grato.
Abraço do
JF

Patrícia Lara disse...

Olá, Saozita.

Vim retribuir a sua visita em meu blogue e dizer que fiquei muito feliz com o seu comentário.

Será sempre muito bem-vinda!

Também adorei o seu blogue... este poema é muito bonito. Eu não conhecia este autor... vou procurar saber mais sobre ele.
Você tem aqui um espaço muito interessante.
Voltarei mais vezes também... beijos.

Patrícia Lara

poemar-te disse...

Belo espaço. Uma boa escolha, António Gedeão; um sentido de oportunidade bem apurada aolembrar o "lágrima de preta", com o texto seguinte muito bom. Bravo. Saúde!

Edna Lima disse...

Racismo é uma mancha na história de várias nações.
Aqui no Brasil sempre esteve e ainda é muito presente.
Há, copiei o seu gatinho lá para o meu blog.Para brincar com minha neta.
Grande bj Edna.

Duarte disse...

Excelente trabalho, um exemplo a seguir, só assim erradicaremos as diferenças sociais e outros aspectos que dificultam a convivência: distanciando pessoas e povos..

Abraços de vida

Graça Pereira disse...

Sãozita
Este é um dos poemas de António Gedeão que mais gosto...declamado por mim, vezes sem conta, num Colégio em Moçambique! O texto do teu marido está uma pequena...jóia! Os meus Parabens!
Obrigada pelo destaque do meu Blog na semana 25...simpatia tua que agradeço com muito carinho.
Obrigada pela tua presença no Zambeziana.
Adorarei ver-te sempre lá na Palhota onde a Amizade é cultivada e partilhada.
Beijo amigo
Graça

VANUZA PANTALEÃO disse...

Oi, amiga!
Pre-conceito, uma forma cruel de julgarmos o próximo. Ótima escolha!
Cheguei das férias, minha casa é sua.
Beijos!!!

Paula disse...

Querida amiga Saozita, passei para desejar-lhe um lindo final de semana....Beijocas

Marilu disse...

Querida Saozita, tenha um lindo final de semana..Beijocas

Maria Luisa Adães disse...

São

Atavés da querida Ana chegou ao meu encontro -
parece que gostou do que escrevo. Agradeço.

Conheço Gedeão, quem não conhece? Mas não tinha uma perespectiva tão vasta, como aquela com que nos presenteia.

"Lágrima da Preta" define bem a igualdade de todos nós e tenta abolir o racismo que tantas vitimas fez a continua a fazer.

O mundo tem de mudar e com o mundo, a indiferença das pessoas, voltadas para o Ego que um dia, tarde ou cedo, morre!

Na morte, somos todos, finalmente, iguais.

Uns mais chorados, outros menos...

Mas ter uma estátua, um nome escrito numa rua,
ou não ser nada, é o mesmo.
A morte não escolhe e mata e o esquecimento das multidões é quase instantãneo.

Seu blogs tem muito interesse e Ana nossa amiga,
nos aproximou.

Obrigada por responder a Ana quando fala de mim.

Estou há pouco no google, ainda estou no sapo (estive e estou há um ano - mesmo a sério).
Mas vim experimentar o google e encontrei amigos
prontos a ajudar.
Não sou indiferente, nunca fui, como Humanista que sou, ao trabalho infantil e às atrocidades
que se continuam a fazer.
Lutemos contra o racismo, as minas que matam, o narcotráfico que traz os sequestros e a droga a
matar as vitimas deste mundo que é o nosso mundo!

Com amizade agradeço a sua luta e a sua presença e palavras no meu recanto do google.
Obrigada,

Maria Luísa

lolipop disse...

Obrigada por visitar o Banzai...espero que goste!
Lembro-me bem deste poema...bonito!
Beijos

tossan disse...

Uma postadem de classe e providencial! Gostei muito. Beijo

Faria disse...

Estou quase a ir visitar-vos com o cafesinho, ou tremocitos e cervejola, e duas ou mais de letra.
Enjoado com a destruição da Administração Pública, decidi aposentar-me ao fim de 41 anos de trabalho. (Não se pense que sou funcionátrio público de mãos amanteigadas, já em miúdo e jovem, fui operário da construção civil e outras valências foram e são desempenhadas, para além da burocracias.)
Bom domingo.

Baba Yaga disse...

Adorei seu blog!!! Maravilhoso o poema e esse texto. Realmente vou aprender muito por aqui e difundir suas mensagens pois também vivo um incômodo muito grande em relação as desigualdades numa sociedade doente que valoriza mais o superficial, o ter. É urgente o resgate da essência do amor e do viver para que a vida valha a pena para todos nós e para nossos filhos e netos que o herdarão. Parabéns Sãozita.. adorei.

Desnuda disse...

Querida amiga,

estou emocionada com estas belas poesias que reli e por este texto primoroso e bem apropriado, sempre ( tive problemas do blog Desnuda numa postagem simples sobre o dia da consciência negra. Um dia para reflexão não só sobre o racismo, mas para todas as formas de discriminação e exclusões sociais). Parabéns por esta bela e necessária postagem.

Como todo brasileiro autêntico, sou negra. Assim me considero, embora a cor " branca" esteja em meus documentos ( tanto estranho como incomodo-me com este quesito nos documentos).


Há um texto muito bom de Affonso Romano Sant'Anna que explica esta minha estranheza.O texto chama-se Ser e não ser negro. Se quiser envio-lhe por mail.

Carinhoso beijo.

jefhcardoso disse...

E o irredutível carbono, indivisível aos olhos, faz-nos sermos em tudo, pedaços do mesmo mundo.

Abraço e obrigado por seu carinho em meu blog.

Jefhcardoso

Luis disse...

Minha Boa Amiga Sãozita,
Vim visitá-la para lhe agradecer o seu comentário e agradou-me muito o seu Blogue, daí a ser seu seguidor foi um passo! António Gedeão (Rómulo de Carvalho) foi meu Professor e daí o meu maior apreço pelos seus trabalhos. Tomei a liberdade de levar o video para o Sempre Jóvens, fazendo menção da sua origem.
Um beijinho amigo.

Mariazita disse...

Sãozita, querida amiga
Grata por suas visitinhas, pelo carinho, por tudo!!!
Andei por fora de casa umas horas e amanhã vou passar o dia (a partir do almoço) com a minha filhota. Daqui a pouco vou programar o post de amanhã, da CASA (onde publico ao domingo, penso que já lhe disse...). Normalmente programo-o para as 00.01H, e não penso mais no assunto.
"Ver-nos-emos" amanhã à noite.
Desejo-lhe um bom resto de sábado e um domingo cheio de Luz e Amor.
Beijinhos e meu carinho

*lua* disse...

Oi flor, obrigada por tua visita no meu blog. estou te seguindo. O poema ... um dos mais lindos e principalmente um dos assuntos mais pertinentes numa sociedade tão imatura que vivemos! Um beijo de bom final de semana!

Fernanda disse...

Querida amiga!

Estive o dia todo em Ovar.Acebei de chegar!
Vi o correio e não tenho resposta tua ao meu e-mail.
Infelizmente e por puro "depiste meu", limpei todos os e-mails, o teu incluído, com todos os contactos dados...desculpa!
Como deves imaginar recebo montes de mails e se não trato logo do assunto, acabo por esquecer coisas importantes....
Peço-te, que me respondas ao e-mail enviado e repitas um contacto, por favor.

Peço de novo desculpa.

Beijinhos

Lina-solopoesie disse...

SAOZITA.
Obrigado pelo comentário lindo que você me deixou.
e verdadeira como você diz!
Na vida é preciso uma grande força interior .... e nós trovaresolo consciência de todas as coisas, se feliz ou triste que nunca identifica a aceitação passiva de alegria e tristeza, como componentes da vida ...
observando nunca juiz .. o olhar, sem adição de ... apreciar a serenidade e tranquilidade, com o grito ".

A frustração, raiva, violência, maldade, falta de paciência, egoísmo, covardia, são todas as barreiras de força interior verdadeiro, e com o motor turbo, deve ser amor .. porque "se existe amor cada pergunta é respondida,

cada lágrima um sorriso, cada grito da sua paz, a infelicidade encontra a alegria .. fadiga durante o sono e seu sono ..
tremendo desejo encontrar refresco ...
Obrigado! da retórica sempre me encontrar x!
Um beijo e bom domingo
LINA

Jorge disse...

Sãozita,
Grato pela visita ao Azimute.
As minhas felicitações, extensivas ao Victor, por este magnífico post, que nos leva a repensar as nossas atitudes e estarmos mais atentos aos direitos dos outros, sem distinção de credo ou raça.
Um abraço para ambos.
Jorge

AFRICA EM POESIA disse...

Sãozita

Bonito encontrar-te por aqui.
Gostei de ler pois é a verdade.
Como Vês as palavras servem para transmitir saberes

Um beijo para ti minha amiga.
Já tenho saudades vossas.


Lágrima de Preta
e dos poemas mais bonitos que eu conheço..

Um beijo grande

Colhendo, né Amor!? disse...

Olá Saozita!

Não conhecia a poesia, e simplesmente adorei. O texto do seu esposo complementando ficou ótimo. Bom seria se essa mancha do racismo um dia fosse limpa sem vestígio.

Beijos

Mirtes disse...

Olá Saozita,

Obrigada pela visitinha tão carinhosa...

Confesso que não conhecia o Sr.Rómulo Vasco da Gama, nem a sua obra que foi belissimamente mostrada aqui, qualquer tipo de preconceito para mim é abominável. Lindo o Poema "Lágrima de Preta" e mais interessante ainda foi o texto do seu marido.... Também estou te seguindo.

Gostaria de poder divulgar em emu blog o texto do seu marido Sr.Victor, posso?? lógico que colocando seus créditos, achei realmente muito bem colocado o contexto. Caso não seja possível, não se preoculpe...

Beijos querida e fica com Deus.

international wiews

Assine a Petição (click na imagem)

Pesquisar neste blogue

Joseph Addison

"A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor"




Labels

Sites úteis para bloggers

Flag counter 27.06.10

free counters
Related Posts with Thumbnails